Alongamentos fáceis para o dia a dia

Oi gente tudo bem? Aqui é a Giselle, lembram de mim? Hoje vou falar mais um pouco sobre atividade física e bem estar.

Depois do post da semana passada, quero saber se vocês já escolheram uma atividade física para praticar pelo menos alguns dias da semana, por alguns minutos?

Se ainda não deram este passo tão importante para a saúde, agora é a hora de começar, e começar bem, sabem como? ALONGANDO este corpinho! Seu corpo tão precioso, que te leva pra todos os lugares, caminha, trabalha, se exercita, e faz tudo por você! Ele, com certeza, merece aquela esticadinha na musculatura no início do dia, para dar um ‘up‘ na circulação sanguínea e preparar os músculos para aquela batalha diária. E o que falar do final do dia? Depois de tanto trabalho, vai e vem, sobe e desce, nosso corpo merece ainda mais aquela respirada profunda e uns minutinhos pra relaxar depois de um dia tão longo. Mesmo se você passa o dia sentado em um escritório, o alongamento com certeza também sera benéfico.

Então, aí vão algumas dicas:

Os exercícios considerados de alongamento são tão importantes para quem pratica como para quem não pratica atividades físicas. No caso dos praticantes de atividades, os alongamentos são essenciais para preparar o corpo antes de iniciar a rotina de exercícios. Também é aconselhável realizar uma sessão de alongamentos no final da série de exercícios.

Já quem não pratica nenhuma atividade física, não pense que está ileso de sofrer com a falta de alongamento! Quem nunca acordou com a desagradável sensação de estar todo travado, encolhido? Basta uma boa espreguiçada para automaticamente se sentir melhor, não é mesmo? Pois o ato de espreguiçar já é um alongamento em todo o corpo. Aliás, todos deveríamos tirar um minutinho ao acordar para espreguiçar antes de sair da cama.

E quem já reparou nos bebês fofos e super ‘elásticos’ que colocam o dedão do pé na boca e sentam-se com a coluna totalmente reta? Ou então quando sentam-se com as duas perninhas dobradas para trás, e logo pensamos: ‘se eu fizer isso nunca mais levanto’? Isso é porque nós nascemos com tudo novo, literalmente zero km, incluindo a musculatura e os tendões, extremamente alongados e flexíveis! Se praticássemos algum alongamento todos os dias, jamais perderíamos a capacidade de fazer o que os bebês fazem. Porém, com o tempo, o corpo perde a flexibilidade e vai se contraindo cada vez mais. E então começam as dores nas costas, nas pernas, na nuca, os torcicolos etc

Mas a boa notícia é que nunca é tarde para começar! Na figura abaixo há exemplos de alongamentos simples que podemos fazer diariamente, pela manhã e antes de nos deitar:

Folder Caminhar 2011 miolo

 Veja abaixo alguns dos benefícios dos alongamentos diários:

1. Alongar melhora e prolonga a flexibilidade e o movimento nas articulações, evitando lesões nestes locais.

2. Os músculos alongados desempenham melhor. Tarefas como carregar peso, abaixar ou correr podem se tornar menos cansativas.

3. O alongamento melhora a circulação sanguínea.

4. O alongamento melhora a postura. Se feito com frequência, ajuda a evitar que os músculos endureçam, mantendo a postura correta.

5. O alongamento alivia o stress, pois relaxa os músculos, aliviando dores e tensões.

6. O alongamento melhora a coordenação motora, promove melhor equilíbrio e mobilidade.

Algumas dicas para um alongamento eficiente:

1. Alongar-se com os músculos frios pode aumentar o risco de lesão. O ideal é alongar-se depois de um pequeno aquecimento.

2. Cada alongamento deve ser feito por pelo menos 30 segundos, pois os músculos precisam de tempo para alongar-se com segurança. Nos músculos mais tensos, recomenda-se 60 segundos.

3. Respeite seus limites, sem exageros. Forçar os músculos pode levar a lesões, dores e tensão. Ou seja, o efeito contrário ao desejado.

4. Caso sinta dores durante o alongamento, recue e faca mais levemente.

5. Relaxe e respire normalmente durante os alongamentos.

6. Alongue igualmente os dois lados do corpo.

7. Não se alongue se estiver lesionado, a menos que seja por orientação de um profissional.

E isso aí, pessoal, espero que tenham gostado, qualquer dúvida mandem aqui nos comentários do blog que farei o possível para responder. E vamos todos alongar!

 

Fontes:

http://www.blog.sossego.com.br/15-minutos-de-alongamento-podem-mudar-sua-vida

http://g1.globo.com/minas-gerais/projeto-caminhar/noticia/2011/01/aprenda-alguns-alongamentos-para-antes-e-depois-da-caminhada

 

5 maneiras fáceis de livrar seus alimentos dos agrotóxicos 

Vocês também se surpreenderam com os dois posts anteriores (aqui e aqui) sobre os alimentos e os agrotóxicos? Vale a pena ler, pois são informações super valiosas sobre as frutas e legumes que possuem grandes quantidades de resíduos destes pesticidas que, sem querer, ingerimos diariamente junto com nossa alimentação.

poison

Desde que fiz estas pesquisas sobre agrotóxicos e orgânicos, eu tenho prestado muito mais atenção no que compro, no que como e no que ofereço à minha família. Pois é, a quantidade de agrotóxicos presente nos alimentos nos deixa com 2 alternativas: ou continuamos comendo veneno, ou encontramos maneiras de nos vermos livre dele.

Comprar orgânicos é uma das maneiras de tentar contornar o problema. Porém, nem sempre encontramos produtos orgânicos, e quando encontramos, pode ser mais caro do que o tamanho do nosso bolso. Confesso que não tem sido fácil nem barato comprar sempre orgânico. E como mencionado no post do morango, nem sempre o orgânico está livre de agrotóxicos, infelizmente.

Por isso, resolvi pesquisar se haveria alguma maneira de tentar eliminar os resíduos de agrotóxicos em casa. Encontrei muitas informações interessantes, que gostaria de dividir com vocês. São algumas maneiras fáceis de eliminar (ou ao menos minimizar) os resíduos de agrotóxicos nos vegetais. Vem comigo?

5 maneiras fáceis de livrar os alimentos de agrotóxicos:

 

wash apple

1. Lavar bem:

A lavagem das frutas e legumes ajuda a diminuir os resíduos de pesticidas, mas não os elimina totalmente. Pode-se utilizar uma escova de dentes para uma lavagem mais abrasiva. Não se deve utilizar sabão ou água sanitária pois muitos vegetais, por serem porosos, podem absorver estes produtos. E assim estaríamos adicionando ainda mais veneno ao alimento, ao invés de limpá-lo.

DICA: não lave os alimentos assim que chegar em casa do supermercado. Isso pode causar deterioração precoce e acúmulo de bactérias. Guarde da maneira que comprou e lave-os apenas antes de consumir.

 

descascar batata

2. Descascar:

Quando possível, deve-se descascar os alimentos antes de consumi-los, pois grande quantidade de agrotóxicos se acumula na casca. Porém nem todos os alimentos da lista dos ‘dirty dozen’ são ‘descascáveis’. Você pode fazer isso com a maçã, o pêssego, a nectarina, o pepino, o tomate, o pimentão e a batata.

 

lemons

3.Vinagre e limão

O vinagre e o limão são dois excelentes aliados na limpeza das frutas e legumes. Eles garantem a eliminação de todas as bactérias, assim como dos restos de agrotóxicos que podem estar presentes. 

Como fazer: misture o suco de 1 limão com duas colheres de sopa de vinagre branco e um copo de água. Mergulhe os vegetais e deixe de molho por 10 minutos.

DICA: se você está sem tempo, depois de lavar bem os alimentos como na dica 1, coloque a mistura de vinagre e limão num spray borrifador, agite bem e borrife os alimentos antes de consumi-los.

pamplemousse

4. Extrato de toranja (grapefruit) e bicarbonato de sódio

Para preparar este desinfetante, misture 20 gotas de extrato de toranja com uma colher de sopa de bicarbonato de sódio, uma xícara de vinagre e uma xícara de água. Mergulhe os vegetais e deixe de molho por 10 minutos antes de consumir.

DICA: o extrato de toranja pode ser substituído pelo suco de um limão.

iodo

5. Solução de tintura de iodo:

Pelo que pesquisei, esta parece ser a solução mais eficaz. Para fazer a solução, dilua 5ml de tintura de iodo a 2% em um litro de água. Mergulhe os legumes nesta solução e deixe agir por 1 hora, em local protegido da luz. Descarte a água e enxágue bem antes de consumir.

Olha este vídeo aqui do Dr Lair Ribeiro, que fala sobre a solucao de iodo (o áudio é meio ruim, mas vale muito a informação). 

Para quem mora em UK, achei aqui: http://www.amazon.com/J-CROWS®-Lugols-Solution-Iodine-2oz/dp/B001AEFM9Y

Espero que as informações acima possam ser de grande utilidade para vocês, como estão sendo para mim, para que possamos proporcionar mais saúde e qualidade de vida à nossa família.

Se você experimentar uma das dicas acima, deixe seu comentário aqui no post, quero saber!
Fontes:

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2012/08/20/vinegar-as-non-toxic-cleaner.aspx

http://amelioretasante.com/comment-bien-nettoyer-vos-fruits-et-legumes-pour-retirer-tous-les-pesticides-et-bacteries/

https://m.youtube.com/watch?v=u7AYohS10wc

 

 

Os 12 alimentos a consumir apenas se forem orgânicos

O post do morango, publicado nesta terça-feira, 14 de julho, teve uma boa repercussão. Eu acho isso ótimo, pois a informação contida nele é de extrema importância e deve ser compartilhada com todos. Se você ainda não leu, clique aqui para ler o post. Muita gente não sabia deste perigo!

Aproveitando o gancho, acho interessante compartilhar com vocês uma lista muito importante: os 12 alimentos que só devemos consumir se forem orgânicos. No final do post também coloquei a lista dos 15 alimentos que seriam seguros para consumir na versão não-orgânica.

Um estudo conduzido por Cynthia Curl, da Universidade de Washington, descobriu que pessoas que consumiam vegetais orgânicos com frequência apresentavam significativamente menos resíduos de inseticidas no seu organismo do que aquelas que afirmaram nunca ou raramente consumir orgânicos. E olha que o grupo que consumia alimentos orgânicos consumia até 70% mais vegetais ou frutas do que o grupo que não consumia orgânicos!

A Environmental Working Group (EWG), uma organização ambiental americana sem fins lucrativos, realizou um estudo com 48 frutas e legumes, em relação à quantidade de resíduo de agrotóxicos detectável nestes alimentos. A análise foi feita em mais de 34.000 amostras colhidas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e pela Food and Drug Administration. Os resultados serviram de base para a emissão da lista de alimentos chamada ‘dirty dozen’ (a dúzia suja) e ‘clean fifteen’ (os quinze limpos).

O mais assustador: foi constatado que os agrotóxicos permaneciam nas frutas e legumes mesmo depois de terem sido lavados ou mesmo descascados. Estes agrotóxicos, quando consumidos, podem causar problemas de saúde a longo prazo, como alterações neurológicas, endócrinas e até mesmo câncer. Vocês vão se surpreender com alguns nomes da lista de 2015, como eu me surpreendi.

Maçã

1. Maçã: 99% das maçãs tiveram resultado positivo no teste para resíduo de ao menos um agrotóxico.

pesseg

2. Pêssego: 98%  das amostras testaram positivo para resíduo de ao menos um agrotóxico.

nectarines

3. Nectarina: 97% das amostras testaram positivo para resíduo de ao menos um agrotóxico.

morango

4. Morango: Amostras de morango apresentaram 13 diferentes agrotóxicos por unidade.

Uva-2

5. Uva: Amostras de uva apresentaram 15 diferentes agrotóxicos por unidade.

Celery

6. Salsão

espinafre

7. Espinafre

Pimentao

8. Pimentão: Foram encontrados resíduos de 15 agrotóxicos diferentes em cada unidade de pimentão.

cucumber

9. Pepino

cherry tomato

10. Tomate cereja: Foram encontrados resíduos de 13 agrotóxicos diferentes em cada unidade de tomate cereja.

sugarsnaps

11. Ervilha Torta (sugar snaps): Resíduos de 13 agrotóxicos diferentes foram encontrados nas ervilhas tortas.

potatoes

12. Batata: A batata apresentou a maior quantidade de agrotóxico por quilo, dentre todos os vegetais analisados.

Ufa! Bastante coisa, né? E pensar que consumimos e oferecemos estes alimentos aos nossos filhos diariamente, sem desconfiar do perigo que estamos correndo.

Agora, vamos à uma noticia positiva. O mesmo órgão ambiental americano, EWG, publicou também no resultado da análise, a lista dos 15 alimentos nos quais foram encontrados poucos ou nenhum resíduo de agrotóxicos. Aqui estão:

Abacate, Milho verde, Abacaxi, Repolho, Ervilha congelada, Cebola, Aspargo, Manga, Mamão, Kiwi, Berinjela, Grapefruit (Toranja), Melão, Couve-Flor, Batata Doce.

Os abacates são os mais ‘limpos’ de agrotóxicos: apenas 1% apresentou resíduo detectável. 89% dos abacaxis, 82% dos kiwis, 80% dos mamões e 61% dos melões não apresentaram resíduos. Somente 5,5% das amostras dos ‘quinze limpos’ ou ‘clean fifteen’ apresentaram dois ou mais resíduos de agrotóxicos.

Pedi pro meu maridinho fazer uma tabela simpática com um resumo das listas. Olha que legal, você pode imprimir e colar na sua geladeira, como eu fiz, para sempre lembrar do que deve comprar orgânico ou não:

12 e 15

Eu poderia dizer aqui que no caso da lista dos ‘clean fifteen’, seria tranquilo consumir as versões não orgânicas. Mas não sei… Mesmo assim dá medo, não é? Por exemplo, 61% dos melões não apresentaram agrotóxicos. Mas, e se justamente o melão que eu comprar estiver classificado nos 39% que apresentam resíduo? Muito chato isso, além de custar mais caro, mas na dúvida, é melhor comprar orgânicos sempre que pudermos.

Após realizar as pesquisas para escrever este post e saber dos malefícios de consumir vegetais não orgânicos, fiz uma escolha particular. Nunca fui muito consumista, mas daqui pra frente, prefiro comprar ainda menos brinquedos e tralhas para meus filhos, usar um pouquinho mais aquela roupinha meio surrada. E com o dinheiro que não estarei gastando nisso, vou investir, sim, em orgânicos. Investir na saúde da minha família.

Fontes:

http://www.ewg.org/foodnews/summary.php

http://www.ewg.org/foodnews/list.php

http://food.ndtv.com/food-drinks/the-12-most-pesticide-contaminated-fruits-and-vegetables-of-2015-752555

 

Morangos: A verdade que ninguém nunca contou a você!

Quem não gosta de morango levanta a mão! Ninguém, aposto!

Morango é uma fruta tão gostosa e tão versátil, vai bem com tudo, né? Minha filha ama, e eu também! Uma das frutas que sempre tem aqui em casa. Minha filha gosta de comer puro mesmo, no café da manhã ou no lanche da tarde. (Detalhe: ela só come se estiverem inteiros, e se tiverem sido lavados por ela mesma com suas minúsculas mãozinhas fofas que quero morder 😍).

Eu amo a combinação de morango com iogurte natural. Claro, também gosto com suspiro picado e chantilly, mas tenho tentado evitar, pois afinal, ainda tenho que perder uns bons quilos pós gravidez. Além disso, quero e preciso mudar meu paradigma de anos de que comida boa é comida ‘gorda’.

image

O morango é ótima fonte de vitaminas C e K, além de nos aportar fibras, acido fólico, manganês e potássio, além de antioxidantes, que combatem os radicais livres e o envelhecimento. A fruta tem sido usada por décadas medicinalmente por suas propriedades digestivas, para o branqueamento dental e para irritações de pele. 100g de morango possuem apenas 33 calorias, e só 0.3g de gordura. Beleza de fruta, não é mesmo?

Ebaaa podemos nos jogar então? Morango no almoço e no jantar? Cuidado! Aqui vai a parte mais importante do post, um alerta super importante que a maioria de nós não está consciente: os morangos comprados atualmente estão cheios, entupidos, transbordando de agrotóxicos. E, infelizmente, podem fazer mais mal do que bem para a nossa saúde. Inacreditável, né?

Historicamente, o sucesso da agricultura dependia da manutenção dos organismos vivos na terra. Estes organismos, como as minhocas, metabolizam os nutrientes e os convertem em humus, regenerando seu próprio habitat e mantendo o solo saudável. Na agricultura moderna, o solo perdeu seu papel original, apenas transferindo nutrientes sintéticos e pré metabolizados às plantas. Neste regime, qualquer organismo vivo transforma-se em uma ameaça devendo, portanto, ser eliminado.

As plantações de morango são particularmente sujeitas à pestes. Consequentemente, grandes quantidades de produtos químicos e agrotóxicos precisam ser usados para manter os níveis de produção e também o lucro dos produtores. A maioria dos morangos que encontramos no mercado possuem brometo de metilo, um produto químico muito tóxico usado para eliminar fungos, microorganismos e pestes das plantações no início do ciclo de plantio, efetivamente matando qualquer coisa viva que se encontre no solo onde estas plantas começam a crescer. Isso sem falar nos fertilizantes químicos que são colocados na plantação nos estágios intermediários do crescimento da fruta.

O brometo de metilo pode causar envenenamento, danos neurológicos e reprodutivos. Por isto, a agência de proteção ambiental do Estados Unidos, por exemplo, classifica-o como um composto de toxicidade categoria I, uma classificação reservada às substâncias mais mortais existentes. Na Europa, Uma pesquisa com morangos franceses e espanhóis constatou que 72% dos morangos analisados possuíam substâncias  potencialmente disruptivas ao sistema endócrino, particularmente prejudiciais para mulheres grávidas e crianças pequenas.

O site canadianliving.com publicou um artigo sobre os 12 produtos mais contaminados por agrotóxicos, e o morango está no topo da lista. O site ainda recomenda consumir morangos orgânicos, que são em teoria sem contaminação por agrotóxicos e pesticidas mas, no entanto, mais caros. Legal! Então se for orgânico, posso consumir sem medo? Infelizmente, descobri que não…

Mesmo sendo classificados e etiquetados como orgânicos, a maioria dos morangos possui resíduos do agrotóxico brometo de metilo. Como assim, não era orgânico? Siiiim, o morango em si não é tratado com fertilizantes, portanto pode ser considerado orgânico. Porém o famigerado brometo de metilo é usado para tratar o solo antes do plantio, e não a planta já em crescimento. Portanto, por mais que os fertilizantes tenham sido eliminados dos processos de crescimento intermediários da fruta, o solo ainda assim foi tratado, na grande maioria das vezes.

Ah, estou perdido então… Morangos nunca mais? Bolo de morango? Sorvete de morango? Bem, o único método existente hoje que garante produção sem o uso deste veneno no solo é o chamado plantio rotativo. O processo consiste em alternar plantações de morango com plantacoes de brócolis, um fungicida natural e que protege os morangos. Raro, porém.

Uma maneira de tentar minimizar o problema, caso você não consiga ficar sem morangos, apesar de não garantir a isenção de agrotóxicos de maneira alguma, é procurar a época de safra do morango no seu país e procurar consumir só neste período. Isto, aliás, deveria ser feito para qualquer hortifruti. No Brasil, por exemplo, a safra do morango acontece de agosto até início de dezembro. Na Inglaterra, a safra vai de maio a agosto.

A outra maneira de não ingerir veneno seria ter sua própria horta caseira e plantar seus morangos, como eu e meu irmão fazíamos quando éramos pequenos, na casa da minha avó no interior do Paraná. Os morangos não eram tão grandes, nem tão vermelhos, nem tão suculentos como os de hoje. Mas, podem ter certeza, eram muito mais saudáveis e com gostinho inesquecível de casa de vó.

Quem se anima a começar sua própria plantação de morangos no quintal de casa? 0/

image

Fontes:

http://www.britishsummerfruits.co.uk/html/news_may.

http://www.canadianliving.com/health/nutrition/12_foods_to_eat_only_if_theyre_organic.php

http://www.whatsonmyfood.org/food.jsp?food=ST

http://www.realfarmacy.com/dirty-little-secret-organic-strawberries-arent-really-organic/

http://bonnieplants.com/2012/04/store-bought-strawberries-versus-homegrown-strawberries/

http://www.env-health.org/news/latest-news/article/what-s-in-your-strawberries

Atividade física e bem estar

Oi gente! Como passaram o final de semana? O meu foi legal, fomos fazer uma viagem curta para um parque/hotel aqui perto, foi muito gostoso! Aliás, ainda quero escrever um post sobre viagens, e como o ato de viajar e sair da rotina pode nos aliviar o stress do dia a dia e melhorar nossa qualidade de vida.

Mas agora tem novidade super legal por aqui!! A partir de hoje teremos uma consultora de atividade física no blog! Chique, né? Pois é, a querida Giselle Ribeiro, formada em Educação Física, vai periodicamente passar por aqui para nos dar dicas de atividades físicas,exercícios etc. Estou super empolgada! Mesmo porque eu sou uma negação  no assunto… sempre fui como a garota da foto mais abaixo! kkkk Mas agora vou aprender com as dicas da Giselle, com certeza!

Então, vem comigo ler o primeiro post dela?

“Quando se fala em atividade física, a primeira coisa que vem à mente da maioria das pessoas são as incansáveis horas de esteira e musculação na academia, suor e lágrimas na luta contra a balança. Ou seja, bem estar e atividade física são palavras com significados totalmente opostos, certo? Infelizmente, para muitos, a resposta seria sim. Alguém se identifica com a imagem abaixo?

Porém, num mundo ideal, toda atividade física deveria trazer bem estar e prazer, e não a sensação de obrigação e unicamente de dever cumprido. Atualmente, as pessoas têm se conscientizado e procurado mais atividades físicas, que lhe tragam benefícios não apenas estéticos, mas físicos e emocionais também. O ideal para alcançar todos estes benefícios seria encontrar uma atividade física que se encaixe em sua personalidade, seu gosto, rotina e objetivos. Porque, independentemente da atividade física escolhida, se for rotineira e bem executada, certamente trará benefícios concretos.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, 70% das doenças da população nos dias de hoje estão ligadas ao estilo de vida, acreditam? Além disso, uma mudança de hábitos, como melhor alimentação e inclusão de exercícios na rotina, poderia trazer uma economia de 50% do que se gasta em tratamentos e medicamentos para combater doenças crônicas relacionadas ao sedentarismo. Problemas cardiovasculares, hipertensão, diabetes e colesterol são só alguns dos problemas que podem ser evitados com exercícios e uma dieta equilibrada.

Este é uma assunto muito completo, então a cada semana estaremos falando de um tópico mais detalhadamente, dando algumas dicas de exercícios, alongamentos, relaxamento e muito mais. E você,  já praticou alguns minutos de sua atividade física favorita hoje?”

exercise

A importância do sono

Hoje vou falar um pouquinho sobre um assunto muito interessante e essencial na nossa vida: o sono!

Antigamente, eu  precisava de 9 horas de sono por noite para funcionar bem. Ha-ha-ha. Bobinha. Hoje eu acho isso muito engraçado pois, com duas crianças pequenas, o máximo que tenho conseguido dormir são 6 horas por noite. Digo, 6 horas quando é uma noite ‘calma’ aqui em casa. Porque quando um tem febre, outro tem cólica, as 6 horas viram 5, interrompidas de hora em hora. Mas o mais surpreendente disso tudo, nosso organismo se adapta. Claro, estou constantemente mais cansada do que quando dormia minhas 9 horas de princesa, minha memória está pior que a de uma minhoca e tenho olheiras dignas de um panda, mas não morri por isso.

sleep

Com certeza, uma boa noite de sono ajuda a melhorar a memória. Isto acontece porque durante o sono, nossa mente trabalha ‘praticando’ as coisas que aprendemos enquanto acordados, e a memória é então fortalecida, num processo chamado de consolidação. Também aprendemos melhor quando temos boas noites de sono. Por isso, virar a noite estudando antes de um teste pode gerar o efeito contrário ao desejado, causando esquecimento da matéria estudada, ou o famoso ‘deu branco’.

Dormir o suficiente também ajuda a manter um peso saudável, vocês sabiam? Pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que pessoas que fizeram dieta e descansaram bem durante, sentiram menos fome e perderam mais gordura do que aqueles que dormiram pouco. Os que dormiram pouco, perderam mais massa muscular proporcionalmente. Ou seja, a quantidade de peso perdida pelos dois grupos foi praticamente a mesma, porém, enquanto uns perderam gordura, outros perderam massa magra. Interessante, não? Isto ocorre também porque o sono e o metabolismo são controlados pelo mesmo setor do cérebro, ou seja, quando estamos com sono atrasado, desencadeamos hormônios que aumentam nosso apetite.

Também é muito importante que as crianças durmam bem. Um estudo de 2009 publicado na revista Pediatrics descobriu que crianças de 7 e 8 anos que tinham menos de 8 horas de sono por noite tinham mais tendência a serem hiperativos, impulsivos e desatentos. Muito interessante, as crianças não reagem à falta de sono da mesma maneira que os adultos: enquanto os adultos ficam cansados, as crianças ficam hiperativas. Um estudo publicado pela revista Sleep em 2010 mostra que crianças entre 10 e 16 anos que não dormiam bem devido à problemas de respiração (ronco, apnéia, etc), tinham mais tendência à apresentar problemas com atenção e aprendizado, o que poderia levar à graves consequências na vida escolar da criança, como baixo rendimento e notas. Portanto, o sono infantil é muito importante.

sleepwell

De acordo com especialistas, o stress é a causa número um de dificuldades no sono. Normalmente, o problema de sono vai embora assim que o stress passa. Porém, se problemas no sono não forem tratados no início,  podem persistir e se tornar crônicos.

O site inglês Sleep Council é bem interessante e fala bastante sobre o assunto. Ele inclusive nos apresenta algumas dicas para dormirmos melhor, aqui vão algumas delas:

– Mantenha horas regulares, tente ir para a cama sempre na mesma hora. Com isso, você sinaliza e programa seu corpo para dormir melhor.

– Crie um ambiente propício para o sono: pouca luz, sem ruídos, nem muito frio, nem muito quente.

– Invista numa cama e, principalmente, num colchão de qualidade. Uma cama confortável ajuda no sono profundo. E, visto que passamos aproximadamente 1/3 da nossa vida dormindo ou na cama, com certeza é um investimento que vale a pena!

– Se exercite durante o dia. Exercícios leves e regulares como natação ou caminhada podem ajudar a aliviar o stress e proporcionam um sono melhor. Mas os exercícios não devem ser feitos muito perto da hora de dormir, para evitar o efeito contrário!

– Corte estimulantes, como a cafeína do chá e do café. A cafeína pode dificultar o adormecimento, e também não nos deixa chegar ao estágio de sono profundo, o famoso sono leve. Ao invés, tome um leite quente ou chá de ervas antes de se deitar.

– Não exagere na comida e na bebida, especialmente à noite, pois isso pode influenciar o padrão do sono e fazer você acordar mais vezes durante a noite. O álcool pode até ajudar a adormecer, mas depois pode causar interrupção do sono no meio da noite.

– Não fume. Fumantes demoram mais para pegar no sono, acordam com mais frequência e tem o sono mais agitado.

– Tente relaxar antes de ir para a cama. Tome um banho quente, ouça música, faça exercícios de relaxamento. Tente relaxar seu corpo e sua mente.

– Faça uma lista de problemas e atribuições para serem resolvidos no dia seguinte. Isto ajuda a tirá-los da sua mente na hora de dormir.

– Se não conseguir dormir, não fique rolando na cama. Levante-se, faça alguma coisa relaxante até ficar com sono, e só depois volte para a cama.

Pessoal, espero que as dicas acima sejam úteis! Com certeza o sono é uma parte muito importante para alcançarmos qualidade de vida e nos sentirmos bem. Que tal começar a aplicar algumas das dicas acima hoje mesmo?

Gostou do post, tem sugestões, dicas? Comente, compartilhe!

Fontes:

http://www.apa.org/topics/sleep/why.aspx

http://www.health.com/health/gallery/0,,20459221,00.html

http://www.sleepcouncil.org.uk/how-to-sleep/sleep-tips/

Os 4 alimentos benéficos para os dentes

Genteeeee, só eu que não sabia disso? Vocês sabiam que existem alimentos que podem ser saudáveis aos dentes e mesmo prevenir a erosão dentária? Recebi hoje uma newsletter do nosso consultório de dentista e veio um texto sobre este assunto. Achei tão interessante, tinha que dividir com vocês!

Se algum dentista ou profissional da área ler este post e quiser comentar, dar sua opinião, vou achar o máximo!

Abaixo menciono os 4 alimentos que, segundo eles, são alimentos que fazem bem aos dentes:

1. Queijo:

cheese

Esta informação foi a que mais me surpreendeu. Queijo ser bom pros dentes, gente? Nunca pensei!

Bom, segundo uma pesquisa da Academia Americana de Odontologia Geral, o queijo pode minimizar as cáries pois neutraliza o ácido da placa dentária. A pesquisa indica que, depois de comer queijo, o pH da boca aumenta, devido ao aumento do fluxo de saliva, e isto reduz o ácido na boca. Além disso, a proteína e caseína presentes no queijo podem ser outros fatores que contribuiriam para a diminuição da erosão do esmalte, enquanto o cálcio e o fósforo ajudariam a fortalecer os dentes.

2. Maçã:

apple

Neste caso, eu ate já sabia que maçã era bom para ‘limpar’ os dentes na falta de uma escova e um fio dental (risos)… Segundo a Epsom Dental, o ato de mastigar a maçã estimula a produção de saliva, alem de ajudar a minimizar a formação de cáries que ainda são superficiais nos dentes. Chegam até a chamar a maçã de ‘escova de dentes natural’, achei fofo!

3. Chá verde e chá preto:

cha

Olha só, outro que eu jamais imaginaria! Estudos conduzidos pela Academia Americana de Odontologia Geral sugerem que tomar chá, seja frio ou quente, pode evitar a erosão dentária. O estudo mostrou que, assim como a água, o chá não possui elementos corrosivos e, portanto, não faz mal aos dentes. Porém isso não se aplica se adicionarmos açúcar, limão ou leite ao chá.  Também não se aplica ao chá comprado pronto, devido aos seus aditivos.  O chá, principalmente o verde,  contém polifenol, que interage com a bactéria da placa e ‘sabota’ a proteína usada pelas bactérias, reduzindo assim o risco de erosão dentária.

4. Goma de mascar sem açúcar:

sugar-free-gum

Pesquisas mostram que a goma de mascar sem açúcar também pode reduzir o risco de erosão dentária. Novamente, o ato de mastigar aumenta o fluxo de saliva na boca, removendo os ácidos produzidos após se alimentar. Mascar chicletes 20 minutos depois de comer ajuda a neutralizar os ácidos através da saliva.

O site recomenda que os alimentos acima sejam consumidos juntamente com uma dieta saudável, uma boa higiene oral e visitas regulares ao dentista.

E então, o que acharam? Ficaram tão surpreendidos com o queijo e o chá como eu fiquei? Quero saber, escrevam nos comentários! Algum especialista que queira dar sua opinião?

Fonte:

http://epsomdental.co.uk/top-superfoods-for-your-teeth/

Superfoods

Olá pessoal, como vão? Como foi o final de semana? Eu andei pensando num tema legal para iniciar a semana e resolvi falar de superfoods. Você já ouviu falar nos superfoods, ou superalimentos?

Como mencionei no post anterior, por mais que tenhamos boa intenção, nem sempre acertamos ao fazer escolhas na nossa alimentação. Muitas vezes somos enganados pelo marketing, consumindo alimentos que parecem ser benéficos, mas que não contribuem em nada para nossa nutrição e ainda podem trazer problemas de saúde. Pesquisando então como me alimentar melhor e buscando acertar nas minhas escolhas, acabei conhecendo o termo superfood, ou superalimento.

De acordo com o dicionário Macmillan, superfood é “um alimento que é considerado muito benéfico e que pode até mesmo ajudar na melhora de alguns problemas de saúde“. O dicionário The Oxford define superfood como “um alimento rico em nutrientes especialmente benéfico para a saúde e o bem estar“.

Vou mencionar aqui alguns alimentos considerados superfoods, que eu procuro sempre consumir e oferecer para minha filha. Dêem uma olhada nas suas características e seus potenciais benefícios:

blueberries

Mirtilos ou blueberries: Mirtilos são uma boa fonte de vitamina K, além de vitamina C, fibra e manganês. Alguns nutricionistas ingleses recomendam adicionar mirtilos à dieta, pois esta fruta tem o potencial de proteger contra doenças do coração e melhorar a memória. São muitos os benefícios dos mirtilos. Possuem poucas calorias e grande quantidade de nutrientes, incluindo antioxidantes mais potentes que as vitaminas C ou E. Aqui em casa os mirtilos estão sempre presentes no café da manhã ou no lanche da tarde.

salmao

Peixes oleosos: Estudiosos começaram a se interessar nos benefícios dos peixes oleosos quando observaram que os esquimós, cuja dieta era baseada nestes peixes, sofriam menos ataques do coração do que a média da população em geral. Salmão, atum, truta, arenque e sardinha são os mais conhecidos peixes oleosos, podendo ser consumidos frescos ou defumados. Estes peixes são reputados por auxiliar contra doenças cardiovasculares, câncer de próstata, perda de visão devido à idade e demência. São boas fontes de vitamina D, proteína, algumas vitaminas do complexo B e selênio, alem de ácidos graxos omega-3, um tipo de gordura boa para a saúde. Aqui em casa, ao menos 1 vez por semana consumimos salmão, seja no forno ou em forma de sushi (para os adultos, pois ainda não ofereci peixe cru para minha filha).

brocolis

Brócolis: O brócolis possui muitos benefícios. Este versátil vegetal é uma boa fonte de vitamina C e folato, além de conter vitaminas A, K, cálcio, fibra, beta-caroteno e outros antioxidantes. Em um estudo de 2012 com 81 pessoas com diabetes, aqueles que consumiram 10g por dia de um pó preparado com brócolis por 4 semanas obtiveram redução nos níveis de colesterol e triglicérides. Brócolis contém componentes que estão ligados à habilidade do corpo em impedir o crescimento de células cancerígenas. Sempre procuro incluir o brócolis nas sopas ou preparações com arroz ou carne aqui em casa. Todos aqui adoramos!

coconut-oil

Oleo de coco: A gordura do óleo de coco é uma gordura facilmente digerível pelo nosso organismo (chamada gordura de cadeia média)e, além disso, nosso organismo usa esta gordura de maneira diferente das demais. Enquanto a gordura presente na manteiga ou na carne é armazenada nas células do nosso corpo, a gordura do óleo de coco é enviada diretamente ao fígado, onde é convertida imediatamente em energia. Assim sendo, o óleo de coco aumenta o metabolismo de maneira saudável, queimando mais calorias e mesmo ajudando a perder peso! O óleo de coco também possui propriedades anti-bacterianas, anti-virais e anti-fúngicas. Confesso que o óleo de coco foi minha maior descoberta em termos de superalimentos. Hoje, procuro usar para cozinhar (a comida fica muito mais leve) e mesmo como hidratante para a pele e cabelos. Ainda quero dedicar um post exclusivo para esta maravilha da natureza!

Bom, que as superfoods são alimentos que possuem alta concentração de antioxidantes, vitaminas, minerais e outros nutrientes nós já sabemos. São ótimas opções para quem quer alcançar melhor qualidade de vida através da alimentação. Agora basta adicionar estes alimentos à nossa dieta e colher os benefícios!

Fontes:

www.macmillandictionary.com/dictionary/british/superfood

http://www.oed.com

http://www.nhs.uk/Livewell/superfoods/Pages/are-blueberries-a-superfood.aspx

http://foodmatters.tv/health-resources/fruit-and-nut-superfoods

Alimentação e qualidade de vida: tentando acertar

Nos dias de hoje, a maioria das pessoas está adquirindo consciência da importância de uma alimentação equilibrada para a saúde e a qualidade de vida.

Dietas, regimes, vegetarianismo, veganismo, intolerância à lactose e ao glúten, gorduras trans, alergias alimentares variadas. Recentemente, passamos a ouvir falar destes tópicos com muita frequência e consequentemente, atenção especial tem sido dada cada vez mais a alimentação e aos hábitos saudáveis em nosso dia a dia.

O perigo vem quando, na tentativa de nos alimentarmos corretamente, consumimos e oferecemos aos nossos filhos alimentos que pensamos ser saudáveis, que se apresentam no mercado ‘mascarados’ de saudáveis, mas na realidade não são. Quer alguns exemplos? Cereais de café da manhã e margarina. Vou me concentrar hoje nos cereais matinais e em um próximo post quero falar sobre a margarina.

Alguns cereais de café da manhã são um bom exemplo de um marketing bem feito, com lindos mascotes e embalagens atrativas para crianças. Você sabia que a ‘febre’ de consumir cereais no café da manhã surgiu no início do seculo XX, por volta de 1906? Fabricantes da época, com o intuito de alavancar as vendas, lançaram extensivas campanhas de marketing para convencer os consumidores de que seu cereal seria o ‘alimento perfeito no café da manhã’, em substituição ao desjejum à base de carnes que era diariamente consumido. Para atrair o público infantil, criaram-se os mascotes.

Porém, dando uma rápida olhada na tabela nutricional e lista de ingredientes de dois dos mais famosos cereais matinais, o que podemos concluir?

cereal 1     cereal 2

Estes produtos são compostos basicamente de milho ou trigo e açúcar, muito açúcar! Observem: em 30g de produto, 12g são de açúcar, ou seja, quase 50%. E o restante? Os outros 50% só podem ser coisa boa, não? Não! O restante é puro amido, seja ele vindo do milho ou do trigo!

Os outros nomes bonitinhos que vemos na lista de ingredientes – ácido ascórbico, niacina, ferro, zinco, entre outros, são vitaminas e minerais adicionados ao produto artificialmente, apenas para torná-lo mais atrativo comercialmente e teoricamente menos lixo para nossa saúde. Mas será que tal adição realmente os torna menos lixo? Existem controvérsias sobre a correta absorção destes nutrientes pelo nosso organismo quando consumidos desta forma. Eu, sinceramente, prefiro suprir vitaminas e minerais na nossa alimentação de forma natural, através de frutas, verduras e legumes.

Ou seja, aquela linda (e cara!) caixa de cereal matinal que você consome e oferece a seu filho todos os dias não passa de açúcar e amido.

Portanto, se buscamos melhorar a qualidade de nossa alimentação, devemos estar mais atentos ao que consumimos e ao que oferecemos para nossos filhos consumirem. A leitura dos rótulos e das tabelas nutricionais é muito importante. Na dúvida, produtos naturais, não processados e frescos serão sempre a melhor opção!

Fontes:

www.melhorcomsaude.com

http://loquedicelacienciaparadelgazar.blogspot.co.uk/2012/02/comida-basura-cereales-infantiles.html?_sm_au_=iFHHH7J2bv6PQPwr

http://www.seriouseats.com/2015/03/history-of-breakfast-cereal-mascots.html